29.3.06

MMMMM! Manual Mítico-Mitologico Mimeografado do Mundo

Mitologia. Ah, quantas estórias, quantas verdades, quanto nos dizem os mitos. Graças a eles sabemos que Atlas é o nome de quem segura o mundo no lugar, e não aquela companhia de elevadores, que Morfeus não era um carinha de óculos escuros, que Bacon era um deus que amava boa comida e não temia o colesterol para os latinos, ou sobre o mitológico desempenho sexual de Cicciolina.

Os12 trabalhos de Heracles:
Parte 1- a Infância de Heracles: Como todos sabem, o nome grego de Hercules era Heracles, sendo sua nomenclatura latina mais conhecida por causa de filmões de meados do século 20, como “Hercules e Zorro”, onde o cinema italiano mostrava que nem só de Felinni se vive uma industria cinematográfica. Assim, o herói é mais conhecido pela nomenclatura latina, o que é uma benção dos deuses, porque, sinceramente, não era eu que ia ter coragem de assistir filmes feitos por gregos na década de 50.Heracles, filho de uma pulada de cerca de Zeus com Alcmena, era motivo de orgulho para seu padrasto, Anfitrião, que achava a embarrigada da esposa um presente do Olimpo. Dono de mitológicos chifres, Anfitrião levava seu próprio nome a sério demais quando recebia visitas, e melhor faria se preparasse uma salada Caesar aos amigos, já que assim, famintos, seus amigos não comeriam sua patroa.Pois bem, ocorre que Zeus era casado com Hera, deusa venenosa e de má índole que não aceitava que seu marido se embebedasse de ambrósia e saísse por ai metendo seu cajado pela Grécia afora, e Hera, que malvada, simplesmente se emputecia quando o marido fornicava em buracos alheios. Tomada de ciúmes olímpicos, Hera prometeu se vingar de Zeus dando cabo do filho deste.Ocorre que, como todos os heróis, já desde seu nascimento, Heracles foi largado um dia em uma sexta por sua mãe em um leito de um rio, só chegando no sábado e sendo encontrado por duas Deusas que passavam por ali Hera e Atena (Sim, parece roteiro mexicano, mas isso é um mito clássico, porra, então fica na sua, amado leitor).Com pena do pequeno ser berrante e sujante de Fraldas Atena teve a brilhante idéia de amamentar o pequenino. Infelizmente, Atena estava sem sua bolsa, conforme explicou a Hera, e não podia passar no banco de leite naquela hora, sobrando para Hera à missão de dar de mamar ao neném esfomeado. Assim, a ironia fez com que Alcmena, a mãe verdadeira, abandonasse o pequeno para morrer, e que Hera, que o odiava, salvasse ele da morte.O caso teria ficado por ai se Hera não tivesse descoberto, poucos dias depois, que o moleque em questão era o mesmo que seu marido tinha produzido com outra. E, devidamente em eterna TPM como cabe a deusas gregas, era hora de Hera (desculpem o trocadilho) matar o neném.Mandou duas serpentes, ambas da oposição, para fazer um lobby e matarem o piá. Mas ele sobreviveu devido a sua incomensurável força, uma falta de memória do eleitorado e um aumento de verbas em programas assistencialistas (mas este é outra estória e fica para depois).O pivete, além de forte para chuchu (sem trocadilhos com governadores presidenciáveis, faz favor), tinha abunda virada pra lua (sem trocadilhos com prefeitos presidenciáveis, faz favor) e logo escreveu um artigo de sociologia sobre a questão sendo convidado para passear de Jet-Sky (sem trocadilhos com quaisquer ex-presidentes, por favor) que era um jet esqui que vagava pelos céus do Olimpo.Impressionados com o feito do rebento, os pais consultaram um oráculo e descobriram que o pirralho ia ser um bam-bam-bam, o que podia significar que iria usar sua força para quebrar pedras em alguma pedreira, ou, talvez, que ia ser alguma merda da vida.Nem tudo eram boas notícias. Avisados foram que talvez um dia se casasse o pequenino com Hebe, deusa da eterna juventude (na verdade ela mentia a idade) e que achava tudo uma gracinha. Dizia ainda, o oráculo, que escolhas precisam ser feitas e ofereceu balas e biscoitos, que Anfitrião recusou educadamente.

Continua lá no Pedrão, o bão

Nenhum comentário: