22.12.08

I Took Your Name

Meu agente ligou.

Ele diz que eu deveria repensar o meu nome. Expliquei que não fui eu quem o pensou da primeira vez e que talvez essa tarefa devesse caber aos meus pais.

O agente foi bem enfático nisso: com esse nome, “Daniell Rezende”, eu não iria chegar a lugar nenhum. Nada contra os seus dois Ls, ele disse. O problema era que seria um bom nome para um cantor de polca. E polca não ia fazer de mim um compositor e cantor independente cool.

Ele sugeriu que eu adotasse o nome de Faith No More. E não aceitou que já tivesse alguém no ramo da música com esse nome.

- Já existe um cantor chamado Faith No More? - ele estava indignado - Mas que tipo de pai dá um nome desses para um filho?

Entramos em um acordo e concluímos que o nome deveria ficar Steve Buscemi. Consultamos algumas lojas de discos e ninguém tinha nada de nenhum Steve Buscemi. Portanto, o nome estava liberado para ser usado por mim.

De acordo com o meu agente, eu agora preciso assinar apenas “Steve Buscemi”. Eu preciso pensar como Steve Buscemi. Eu preciso ser Steve Buscemi. Ele começou encomendando novos documentos.

Também pediu para colocarem a foto do Faith No More na minha carteira de motorista, para eu ficar com mais cara de cantor.

Estou ainda me adaptando ao novo nome. É meio estranho mudar de nome assim, de repente. Não foi uma coisa gradual, do tipo “primeiro, você muda pra Daniell Buscemi, depois dá um jeito de passar pra Steve”.


Daniell Buscemi